Return to site

Investimentos de impacto social têm o seu retorno

SIBHub Brasil

por Isabel Rodrigues

Em julho de 2017, um pequeno experimento social concebido há dez anos para ajudar 2.000 jovens delinquentes em Peterborough, no leste da Inglaterra, alcançou seus objetivos sociais e econômicos. Idealizado por um dos maiores empresários e filantropos da Grã-Bretanha, Sir Ronald Cohen, e desenvolvido pela Social Finance, tal experimento se tornou o primeiro Contrato de Impacto Social (do inglês, Social Impact Bond) do mundo.

Preocupado com a taxa de reincidência da juventude, Sir Ronald e seus colegas persuadiram um grupo de investidores a apoiar um programa inovador de tutoria e apoio pessoal, individualmente adaptado aos jovens que deixaram recentemente os presídios da cidade de Peterborough. A organização que ficou responsável por esse programa, financiada pelo CIS, foi a One Service, uma organização de guarda-chuva destinada a responder às complexas necessidades dos infratores para ajudá-los a romper o ciclo de reincidência.

A iniciativa foi uma das últimas decisões que Gordon adotou em seu governo. Em alguns meses, a Social Finance arrecadou 5 milhões de libras (6,6 milhões de dólares) de 17 investidores e fundações para lançar o contrato.

Ao longo de cinco anos de operação, boa parte dos 2.000 jovens que receberam a ajuda da One Service em Peterborough não havia sido detido apenas uma vez, mas havia reincidido diversas vezes no presídio. Era notável que um termo de custódia não parecia ser um impedimento. Mas muitos tinham necessidades agudas que ninguém havia abordado, ainda. Uma grande proporção dos presidiários sofria de problemas de saúde mental e uso de substâncias químicas. Muitos demandavam outras necessidades como habitação, dificuldade para conseguir um emprego, falta de acesso a dinheiro e endividamento com credores – uma fórmula para a reincidência.

De acordo com a estruturação do contrato, o governo só pagaria os investidores se o projeto reduzisse a reincidência em 7,5%. Ao trabalhar com os moradores locais na Parceria por um Peterborough mais Seguro (Safer Peterborough Partnership), a One Service reduziu a taxa de reincidência em 9%, comparado com um grupo de controle nacional. Como resultado, todos os investidores foram pagos – capital inicial mais um retorno anual de pouco mais de 3% para o período de investimento.

Investir neste novo tipo de vínculo era um risco, mas queríamos esse CIS mostrasse ao mundo que investimento privado podia ser mobilizado para enfrentar até mesmo os problemas sociais mais complexos e intratáveis. Ao longo do caminho, Peterborough realmente mostrou o mundo que é possível. Hoje, os contratos de impacto social estão mobilizando mais de 300 milhões de libras com investimentos em uma ampla gama de projetos, como apoio a refugiados que procuram emprego nos EUA e prevenção de diabetes em Israel.

O plano de Cohen é ainda mais ousado e cobre todo o campo dos problemas sociais em necessidade urgente de melhoria. Ele prevê um ponto de inflexão até 2020, com bilhões de dólares em novos investimentos em contratos provenientes dos 100 maiores investidores institucionais do mundo, 50 fundações e 50 empresas privadas.

A chave para desbloquear o desenvolvimento social é uma medida de impacto precisa – incluindo os benefícios da prevenção – e a conversão de ganhos sociais em um retorno financeiro capaz de atrair investimentos do mercado de capitais. Assim como venture capital respondeu às necessidades de financiamento da revolução da internet uma geração atrás, o investimento de impacto social pode ajudar a alcançar a próxima etapa da reforma social inovadora.

Para ler a notícia na íntegra e em inglês, acesse: https://goo.gl/b49mdR

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly